domingo, agosto 20

“Priest Nostrum„


A vinda de uma novo padre. para a nossa paroquia foi uma alegria, e ainda mais sabendo que era um padre jovem, assustava-nos a ideia de termos mais um padre velho e conservador como os anteriores, com manias senhoriais, um houve que parava na estrada e buzinava e a vendeira vinha a correr espavorida com o jornalzinho diário que ele a maior parte das vezes nem pagava e não dispensava o burrito com o devido escudeiro para ir a *Corvachan, outro havia que devia ser masoquista , na catequese dava mais porrada que a pide, com tudo isto foi sem surpresa que o pessoal mais jovem na altura ficou na expectativa de mudança, e assim foi, atraiu a juventude, foi activista cultural, um dos principais motores na altura da fundação da Águia do Marão, jogava futebol, estávamos maravilhados e tinha-mos orgulho nele, e frequentáva-mos a igreja de livre vontade.
Como não á bela sem senão, dá-se inicio a uma lenta mudança na atitude, de um padre esperamos (pelo menos eu esperava) todos que tenha qualidades intrínsecas a coragem, justiça e caracter, tem o papel de espalhar e ensinar a palavra de Deus e isso faz dele diferente do comum mortal, subjugou-se a quem o salvou das transferências de paroquia a que esteve sujeito por duas ou três vezes, perdeu força para questionar ou fazer valer a verdade e justiça, passou de um padre que os jovens admiravam a um simples padre que celebra
missas, batizados e enterros, ele desistiu de lutar, temos um padre politicamente correto que não assume posição e quando assume é sempre a favor do mais forte (as beatas que lhe safaram as costas).
Um padre não pode ter medo de fazer perguntas e de levar os jovens a fazer perguntas.
Em conversas com jovens de Candemil foi possível perceber o desanimo entre muitos, uns já nem aparecem ás celebrações outros vão porque parece mal não ir e outros ainda se dizem satânicos
, pois é, falei com cinco jovens da freguesia que se dizem satânicos, o pastor adormeceu.
Sinceramente não me parece que esta seja a melhor forma de trazer " as ovelhas tresmalhadas" ao rebanho.
Creio que uma das principais razões que as pessoas abandonam a Igreja
é porque sentem que a Igreja não é delas, ou que elas não fazem parte da Igreja e assim sendo o responsável é o pastor.

* Escrevi Corvachan em vez de Corvachã em homenagem ao Antonio de São Cristovão


Até á próxima.........

Moral da Historia em Latin: cauda de vulpe testatur

(as foto-montagens do Joaquim Mendes não são usadas neste blog com sentido depreciativo e o nome Bode Ranhoso é do editor deste blog,peço-vos que não o associem ao Sr Joaquim Mendes pois tenho o maior respeito por ele)

20 comentários:

  1. Acho que tens toda a razão,são como aqueles politicos que são eleitos com o apoio de grandes empresários e depois de eleitos ficam de mão atadas sem poder agir com integridade,poi os favores teêm de se pagar.

    ResponderEliminar
  2. Lá estás tu ,bode a bater no ceguinho,por um lado merece essa critica,por outro veio acabar com algumas chuliçes que os outros padres faziam aqui,como cobrar muito dinheiro pelas celebrações,este ao menos deixou isso á escolha do cliente :-))

    ResponderEliminar
  3. tás feito ao bife,agora é que as beatas te saltam ao cerro.
    tens toda a razão,e eu tambem sei quem se assume como satânico ,pelo menos aqui no espinheiro á um.

    ResponderEliminar
  4. o padre é boa pessoa,mas é o que tu dizes é só uma boa pessoa,e isso não chega no posto que ele ocupa.

    ResponderEliminar
  5. Deixa-la o padre em paz,é uma boa pessoa,e não merece isto.
    Tu costumas escrever sobre coisas e para mim tens tido razão no que escreves mas o padre deixa-o em paz.

    ResponderEliminar
  6. A juventude daqui ,já não liga á religião,a maioria vai por ser obrigado senão os velhotes chateiam-se e depois não vale a pena problemas,normalmente a igreja está cheia de beatas e pessoal que vai porque parece mal não ir.
    Claro que o prior tambem já não atrai a juventude ele tem outras preocupações,as obras da igreja e casa,e perdeu a vontade de lidar com os jovens

    ResponderEliminar
  7. A.Gomes-Aguedaagosto 20, 2006

    a sorte da religião catolica é que lavaram o cerbero durante milhares de anos ao pessoal e agora mesmo que não liguem á religião vão batizar os filhos e casar porque têm medo e parece mal,é como aqueles que dizem que são "catolicos não praticantes".
    desculpem mas eu não estou a ver bem isso,então é catolico e não pratica ??
    se alguem me puder trocar isto por miudos eu agradecia

    ResponderEliminar
  8. Eu penso que quem diz é Católico não praticante deve ter um grande problema na mona.
    Era o mesmo que ser Democrático não praticante,ditador não praticante,se não pratica não é !!
    tudo por comodidade assim dá-se uma desculpa para os excessos cometidos e que não são aconselhados pela igreja.:-)))

    ResponderEliminar
  9. Como tudo na vida enche ele esta saturado da freguesia e portanto fazia-lhe bem mudar de ares,ele sabe disso ,mas mal ele tenta dar o salto as beatas agarram-no aqui e ele não tem saída,não se safa vai ter de ficar cá até que a morte os separe,estas beatas parecem os adeptos de futebol que quando o jogador querido vai sair vêem para a rua ,Não saias,Não,saias,não saias.

    ResponderEliminar
  10. É verdade,o que dizes , já vai longe o tempo em que ele quando acabava o cigarro botava fora a porisca e dizia ,BEATAS LÁ FORA
    nesse tempo ainda tinha algum senso de humor.

    ResponderEliminar
  11. Reparem no caso da Madonna em que os católicos e Ortodoxos querem contrariar a todo o custo a encenação dela em palco.
    É no que resulta quando uma das maiores instituições deste planeta ve ameaçada a sua integridade por alguém que detém poder na transformação e moldagem de mentalidades e de imagens.
    A Igreja Católica apenas está a zelar (ou deveria eu dizer "a adiar") para que não seja ainda mais desmascarada do que aquilo que já foi perante os crentes que ainda acreditam na grande mentira que construíram há 2000 anos e que querem que se contitue a fazer acreditar.
    Qualquer ser minimamente inteligente percebe que a cruxificação encenada por Madonna é metafórica - e muito bem - daquilo que a Igreja Católica também é cúmplice, ou seja, da deterioração dos valores humanos (apesar da disfarçada melhoria destes) em todos os sentidos.
    O que está verdadeiramente em causa não é a blasfémia (que nem sequer é) nem a apropriação de um símbolo religioso. O que está em causa é o que esta encenação pode transmitir a quem a vê e apagar um bocado da lavagem cerebral que este instituição faz à civilização ocidental.

    ResponderEliminar
  12. Isto explica muita coisa

    "O uso do preservativo com o objectivo de obter prazer sexual sem procriar é um pecado para a Igreja Católica mas não para a esmagadora maioria 84,2 por cento, ou seja, mais de oito em cada dez dos católicos praticantes inquiridos no âmbito da sondagem realizada pela Aximage para o Correio da Manhã.

    A pergunta era clara: «Usar preservativo numa relação sexual é ou não é pecado?» Clara foi também a resposta de 89,7 por cento dos inquiridos: não. Dos católicos praticantes, 84,2 por cento diz sem hesitar: não é pecado!

    Embora não tão expressiva é aimda uma maioria clara de católicos praticantes - 70,7 por cento - a afirmar que a Igreja deveria deixar de ser contra a utilização do preservativo em todas as situações e não apenas em algumas circunstâncias, nomeadamente quando um dos membros do casal é seropositivo ou doente de sida, hipótese que merece actualmente a reflexão de um grupo de teólogos do Vaticano.

    Quanto ao facto de passar tempo demais a ler jornais, a ver televisão ou na internet diminuir a fé cristã, 29, 1 por cento dos católicos praticantes inquiridos concorda, enquanto 67,5 por cento discorda."

    in Portugal Diário

    ResponderEliminar
  13. Americo de Sá - Portoagosto 22, 2006

    Tenham vergonha e peçam desculpas pelo facto de andarem a "gozar" e a mentir aos Cristãos. Pecado é os senhores da Igreja Católica, mentirem violarem crianças, exercerem pressão e poder sobre as Almas dos Crentes e atirar-lhes com o Inferno quando uma Alma Sofredora se aproxima da Igreja e só quer receber conforto e ajuda. Muitas vezes, a Igreja Católica, através dos seus dirigentes, seja a que nível for, comportam-se, não como Cristãos que dizem ser, mas como autênticos Vermes que esperam o momento certo em que o Crente está mais fraco e combalido, para lhe sugar a esperança e até a razão de viver. A Igreja Católica, através de muitos dos seus dirigentes sabem que cometem os PECADOS da SOBERBA e da MENTIRA, disfarçados hipócritamente de humilde e bacoca servidão. Sejam Homens em toda a sua plenitude e acabem com as vossas frustações sexuais que os levam a pisar todoa aqueles que vivem a Vida exactamente como DEUS mandou que ela fosse vivida: PLENAMENTE. Tenham respeito pelos Cristão que adoram DEUS mas que já não suportam mais as falinhas mansas e hipócritas da Igreja Católica, desde o mais alto ao mais baixo servidor dela, com raríssimas excepções. Pecado? Tenham mas é juízo!

    ResponderEliminar
  14. Pecados são os constantes ataques que sofremos por parte da Igreja para não fazermos isto ou aquilo. Porque não vai a Igreja cumprir nos paises mais carenciados a sua missão? O que estão a fazer rodeados de riqueza nas grandes cidades? E como nada têm que fazer, inventam anormalidades que apelidam de pecados. Já era tempo de concluirem que o seu percurso terá de ser invertido, sob pena de não terem ninguém a quem chatearem daqui a poucos anos.

    ResponderEliminar
  15. O discurso de D,Jose Policarpo diz tudo.

    "D. José Policarpo pediu aos sacerdotes para meditarem sobre o ministério sacerdotal, «na sua relação com Cristo, o único Sacerdote, e com o Povo de Deus, a cujo crescimento e autenticidade se destinam essas graças sacramentais».

    «Todo o sacerdócio é uma mediação fecunda, entre amor infinito de Deus e a Humanidade por Ele chamada à plenitude da vida (. . .) A igreja toda, Povo sacerdotal, é mediadora entre Cristo e a Humanidade», acrescentou ainda na homilia."

    Joaquim aleixo

    ResponderEliminar
  16. A verdade é que a igreja não evoluiu no tempo, e parece que se esqueceu que agora os tempos são outros, e já não se vive em função da religião como antes.
    Parabens amigo Bode, era uma critica necessaria.

    ResponderEliminar
  17. Basta ver-mos como vão as instituições católicas
    os assassinatos consumados por miúdos "instalados" em instituições católicas sustentadas pelo Estado, a expulsão de um padre por ter dado uma tapona num miúdo indefeso numa intituição do mesmo Estado
    isto é uma autêntica procisão ao diabo feita pela igreja

    ResponderEliminar
  18. A eleição do Cardeal Ratzinger como sucessor de João Paulo II, não tem caído bem em alguns meios, inclusivamente no seio da Igreja Católica. Não era difícil de prever este desfecho, devido ao grande apreço e carinho que o mundo e os jovens em particular tinham em relação a João Paulo II. O seu conservadorismo é notório e conhecido, da perseguição a vários Teólogos, às suas posições em relação aos mais variados temas da sociedade a que disse NÃO;



    - Não ao aborto,



    - Não à eutanásia,



    - Não ao comunismo,



    - Não ao preservativo,



    - Não às orientações sexuais entre pessoas do mesmo sexo,



    - Não ao casamento dos Padres,



    - Não à ordenação de Mulheres,



    - Não "reconhecimento" do Budismo,



    - Não a variados outros temas fortes da nossa sociedade.



    A Igreja perdeu a oportunidade, depois da morte de João Paulo II, de tornar a Igreja mais próxima dos seu fiéis, e em contrapartida elegeu um homem de 78 anos e ultra conservador

    ResponderEliminar
  19. Mas não é só os putos que são satanicos,afinal aqui em candemil sabe-se que algumas ditas beatas são clientes do conhecido Bruxo de Amarante,ora se a igreja condena esses tipos o que fazem lá estas pessoas,o mau olhado e o azar elimina-se com oração não com idas ao bruxo.

    ResponderEliminar
  20. Cumpre-se esta ano a 20ª edição do Congresso de Medicina Popular, que decorre de quinta-feira a domingo em Vilar de Perdizes, Montalegre. Exorcismo, satanismo e o poder curativo das plantas são alguns dos temas que levam à aldeia de Montalegre muitas dezenas de entusiastas de um evento com duas décadas e que é único no país.
    O fundador dos congressos de medicina popular de Vilar de Perdizes, padre António Fontes, aguarda alguns milhares de pessoas no encontro.
    António Fontes é um dos principais defensores da cultura popular da região do Barroso, onde a localidade se insere.
    Segundo o padre o congresso de Vilar de Perdizes nasceu numa altura em que as tradições e a medicina popular antiga estavam a cair em desuso, devido à concorrência ou oposição da "medicina química ou moderna", mas reconhece que o objectivo do evento continua actual.
    Nos quatro dias do congresso, videntes, médiuns, curandeiros e ervários vão estar espalhados por cerca de 60 stands.

    in Marão Online

    Porquê é permitido a um padre da Igreja Católica esta actuação é por estas e outras que já ninguem faz caso da religião Católica,onde já se viu um padre apoiar isto ????

    ResponderEliminar

Deixe aqui a sua marrada.
O Bode Ranhoso agradece a sua Chifrada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...