quinta-feira, janeiro 18

A Cegueira da Justiça


O pai biológico já fala de umas massas pelo incómodo psicológico.
O pai adoptivo prefere ir para a prisão (seis anos!!!) do que dizer onde está a sua menina.
A Justiça é cega – mas precisa de ser estúpida?
O crime deste pai adoptivo é recusar arrancar a sua menina daqueles que ela sempre viu como pais. Quando pensa em incómodo psicológico, o pai adoptivo pensa no da sua filha.
E não faz comércio disso. Mas, diz-me a Justiça, ele não é um “pai adoptivo”, ainda não houve legalmente adopção. Está bem, falo só de pai.

Pai: condição que muitos ganham na rifa do espermatozóide de uma noite e este PAI (o sargento Luís Gomes) conquista à custa da sua liberdade.
Com a condenação é um criminoso.
Que honra é para qualquer pessoa de bem apertar a mão a este criminoso!

Ferreira Fernandes
In Correio da Manhã

Não se trata de cegueira por imparcialidade mas de cegueira por não ver um palmo à frente do nariz. Os juìzes (as) que apreciaram a causa deveriam voltar (?) à Escola e aprender algum Direito que, infelizmente, parece ser disciplina pouco praticada no País. Os exemplos de incompetência técnica e de inadequação humana para dispor dos direitos e da liberdade dos cidadãos são assustadores.Preferia ter o pais cheio de criminosos como o sargento do que gente séria como o juiz que tem o caso nas mãos.

Luscus caeco praefertur; sic undique fertur.....

Até á próxima.........

(as foto-montagens do Joaquim Mendes não são usadas neste blog com sentido depreciativo e o nome Bode Ranhoso é do autor deste blog,peço-vos que não o associem ao Sr Joaquim Mendes pois tenho o maior respeito por ele, sobre as fotos-montagens não estão relacionadas com os artigos é só uma forma de mostrar a outra face deste mundo)

10 comentários:

  1. Foram já vários os casos de crianças que morreram depois de maus tratos fisicos por pais ou avós biológicos que eram consideradas crianças em risco e que andavam a ser vigiadas pela "protecção" de menores, o que nos leva a pensar que a justiça em Portugal tem que ser revista urgentemente.

    ResponderEliminar
  2. A esses pais adoptivos,que deviam mereçer todo o respeito e consideração por todos nós,que fizeram aquilo que muitas pais não fazem,que é dar AMOR,CARINHO E EDUCAÇÃO.Quem devia estar presa era a mãe,pois ter 1 filho e da-lo é horrivel,eu tenho 2 filhos e nunca os daria,e depois só engravida quem quer hoje com tantos métodos.pois criar é amor,ter é dor,mas esse pai nem isso sabe,ele que pense na "filha"se é que lhe tem amor(o que eu duvido)pois se lhe tive-se amor deixava onde de direito ela é,com os verdadeiros pais,os adptivos esses sim são os verdadeiros.Daqui toda a força do mundo,e não desistam.ela é vossa por direito.Por Favor deixem esta criança com os pais adoptivos não brinquem com os sentimentos da menina,ela não é 1 brinquedo.

    ResponderEliminar
  3. Sou mãe, sou professora...janeiro 19, 2007

    Sou mãe, sou professora, naturalmente estou indiganada, muito indignada! Senhora Juíza, é mulher, não sei se será mãe, poderá saber de leis, no entanto queria recordar-lhe o que proventura demonstra ter esquecido: "uma criança não é propriedade dos pais, é um ser vivo, com individualidade e direitos". A senhora tinha obrigação, pelo menos moral, de proteger esta criança para quem, inevitavelmente, ser arrancada da família que a criou, educou, que a ama, que a protege (ao ponto do pai, este sim o verdadeiro pai, se deixar prender), vai ser sentido como um verdadeiro rapto. Pensou na criança? Pensou nas noites em que ela vai chamar pela mãe ou pelo pai e só lá vai estar um estranho, com quem ela não tem qualquer vínculo emocional? A justiça é assim tão cega que, para satisfazer o desejo (ainda que tardio) do fornecedor do espermatozóide (recuso-me a designá-lo de pai), expõe uma criança a esta violência?! Uma palavra aos Pais de Adopção, aos Pais do Coração desta menina: meus Senhores, não vos conheço, mas permitam-me que vos diga, que têm o meu respeito e admiração, pela coragem e pelo amor incondicional que demonstram. Afinal de contas, a criança um dia vai crescer, vai saber. Não me parece que o tal fornecedor de espermatozóide vá no bom caminho para lhe conquistar o afecto. Enfim, faltam-me palavras. Continuo estupefacta, é inacreditável!

    ResponderEliminar
  4. maria - suiçajaneiro 19, 2007

    tudo o que o pai quer é dinheiro.e depois hà o caso da vanessa ,da joana ,do ruben ,etc. enfin,é o pais que temos.ainda bem que sou imigrante!

    ResponderEliminar
  5. Rafael Lopesjaneiro 19, 2007

    Polícia multado com 720 por morte de suspeito de furto, li isto há dias nos jornais. E agora pai condenado a 6 anos por querer defender a filha que adoptou. Está tudo dito sobre a justiça portuguesa.

    ResponderEliminar
  6. Luis Marquesjaneiro 19, 2007

    Permita-me que não se lhe dirija com o titulo de Juiza. Não sei que idade tem, se é mãe, se algum dia foi amada pelos seus pais, se os amou também a eles. Sei no entanto que estudou Direito vários anos, que fez uma pós-graduação na mesma área e que os códigos, as leis, os decretos e os processos lhe correm nas veias. Esses mesmos estudos, Sra. Fernanda Ventura, deram-lhe o poder de decidir sobre o destino dos que se apresentam diante de si. Pois bem, Sra. Fernanda Ventura. Acabou de usar esse poder para destruir uma familia, um homem honrado e acima de tudo uma criança de 4 anos. Quem o faz, não merece ser tratado por Juiz.

    ResponderEliminar
  7. Inez Pereirajaneiro 19, 2007

    Se todo este processo se passou como a notícia refere, o caso deste pai condenado a seis anos de prisão é motivo para abaixo-asinados; correntes virtuais, manifestações , seja o que fôr. Não pode, simplesmente, ser esquecido. Libertem-no já.Não quero saber da justiça que foi feita, quero saber de moral, quero saber da justiça que este homem merece. bQuero-o em liberdade, já, e com a filha.

    ResponderEliminar
  8. mariana batistajaneiro 19, 2007

    A insensibilidade de muitos juízes no que diz respeito aos legítimos interesses dos jovens é obviamente escandalosa e criminosa.

    ResponderEliminar
  9. è mais um exemplo da justiça que temos.
    Se têm de acusar o pai adotivo de alguma coisa, so pode ser do "crime" de amar de mais.

    ResponderEliminar
  10. FIquei indignada com isto tudo. O unico pai é aquele que ama a criança e que so quer o seu bem . Quanto à justiça ( com um pequeno "j") ... Que dizer ?? A unica Justiça é a Justiça do coraçào. Compreenda quem tiver coraçào para compreender. Permitam-me so de dizer que a justiça faz-me uns arrepios cà nas costas, porque se nào confiarmos nela para nos defender, como fazer? ...

    ResponderEliminar

Deixe aqui a sua marrada.
O Bode Ranhoso agradece a sua Chifrada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...